Attune banido amanhã!
08/01/2018 15:00 / 11,971 visualizações / 57 comentários

 

Eu sou um cara que odeia banimentos, eu juro. Para mim, o banimento é uma violência contra os jogadores e o metagame, é assumir um erro grave e usar uma solução radical. Ainda sim, ambientes ruins são tão violentos quanto um banimento, então ás vezes é algo necessário.

 

Eu já tinha uma opinião pronta para a próxima banlist, dia 15 de Janeiro.

 

Três dias atrás, se você me perguntasse o que eu achava do Standard e se gostaria de um ban, essa seria minha resposta padrão:

 

"Energy é um erro de Design e não devia existir, sua existência distorce o Standard e impede que outras estratégias joguem. No entanto, vivemos tempos turbulentos no formato, com quase um ban a cada lançamento de edição, o que mina a confiança do jogador e confiança é a base para que o Standard exista, logo, apesar de achar essa mecânica um erro, eu apostaria em uma Wizards focando em Modern e novas edições, para só em Outubro, na rotação, limpar a Energia do formato, tudo em nome da confiança".

 

A forma como a Energia foi feita, sem o oponente poder interagir e te permitindo criar card quality e card advantage, fez dela um pequeno monstro. É quase impossível competir em um jogo justo contra Temur ou 4C, cartas como Harmonizar-se com o Eter, Refinador Clandestino e Nucleo do Eter​ são o tipo de carta que um midrange já usaria, e elas ainda tornam todo o resto do kit de energia mais forte, dando a base para que joguem. Não a toa, inexistem bons midranges no formato que não usem Energia, ou você joga por baixo do Temur, ou por cima, bater de frente com ele? Jamais. Um cenário parecido com as épocas de Guardiao Felidar e Maravilha do Sistema Eteraulico​.

 

Ainda sim, tivemos Emrakul, o Fim Prometido, Coptero do Contrabandista, Mago Refletor​, Guardiao Felidar e Maravilha do Sistema Eteraulico​ banidos, é muita carta, em pouco tempo, é muita rotação em um formato que tem como grande chaga justamente a rotação. Por que jogarei um formato com rotação se minhas cartas podem durar menos do que os dois anos que elas deviam? É essa situação que sempre me fez ir contra o ban.

 

Resumindo: O formato tinha problemas? Sim. Mas ainda parecia preferível ignorar até Outubro.

 

Porém, eu li esse artigo do Play Design, escrito pela Melissa DeTora.

 

Comparações não devem ser escolhidas por acaso e dúvido que tenham sido nesse artigo, comparar um deck com o Affinity do Standard é falar de um poder nunca antes visto, de uma dominância de metagame que quase matou o jogo. Falar em Affinity é falar em banimento, e banimentos pesados, sem medo de cortar na própria carne, apenas focando em salvar o ambiente.

 

Pinca Craniana em Junho de 2004, Devastador Arconexo​, Discipulo da Camara​, Cidadela de Aco Negro​, Covil Antigo​, Grande Fornalha​, Assento do Sinodo​, Arvore dos Contos​ e Camara de Sussurros​ em Março de 2005, esse é o histórico do Affinity e é isso que o texto comparando Affinity e Energy nos lembra.

 

 

Com o texto enfim abordando o elefante na sala, pudemos ver que sim a Wizards sabe que existe um monstro em Kaladesh e a abordagem dada indica que ela pode sim falar em banir cards para salvar seu formato mais importante. Uma resposta compreensível após a SCG Games, grande divulgadora do jogo, anunciar que mudaria seus Torneios Opens, que seriam apenas no formato Standard, para formatos mistos, claramente procurando um torneio mais diverso.

 

Mas onde atacar?

 

 

Eu citei Refinador Clandestino, Harmonizar-se com o Eter​ e Nucleo do Eter como base para o Energy, duas dessas cartas apenas adicionam Energia e o Núcleo não precisa sempre usar essa Energia que gera, além de ser um belo fixer. Virtuose dos Turbilinos, Raio Domesticado e Hidra Ericada podem ser estrelas, mas sem os carregadores de piano, não vejo muito que eles possam fazer. Claro que banindo apenas a base, ainda é possível usar esses cards em outras estratégias, ou mesmo deixaria o RG vivo, e eu não vejo problema em um ou outro deck jogando com um pouco de Energia, o problema é quando isso impede que outros joguem, Rivals está cheio de mecânicas interessantes, mas a primeira coisa para se preocupar nos testes é se elas conseguem vencer Energy, caso contrário, nem valem o esforço, é uma edição inteira jogada fora, por conta de uma mecânica que só vai embora no final do ano. Banir tudo do Energy é muito radical, iria realmente só com o trio que citei no começo.

 

...e justiça para todos (?)

 

Com o Energy banido é um fato que o meta fica diverso, o que vai restringir o deckbuilding serão as opções do Standard (por exemplo, terrenos) e não necessariamente um deck. Kaladesh tem um power level muito acima das edições que tentam acompanhá-la no Standard, e algo parecido aconteceu com o bloco de Mirrodin em sua época, então podemos esperar que com Amonkhet e companhia mais livres, possamos ter mais variedade, ainda mais com os tribais voltando com tudo.

 

E vou ficando por aqui, passei da "turma do deixa disso", para essa posição de acreditar no banimento como algo real, que venha o dia 15!

 

PS: Zero mudanças no Modern antes do PT Bilbao, bjus de luz.

 

Ruda

 

 


Rudá Andrade dos Reis (VIP STAFF Ruda)
Aficionado por decks azuis agressivos, mas que não dispensa um bom Siege Rhino nas horas vagas, está no Magic desde 2003, em Flagelo. Em 2012 começou escrever sobre Magic e não parou mais, sendo que em 2015 se tornou Editor da Ligamagic.
Redes Sociais: Facebook, Twitter
LigaMagic App

ARTIGOS RELACIONADOS

Na dúvida, eu ataco

Minhas escolhas para as Finais Modern e Standard do CLM.


Nicol Bolas procura colega de quarto

Novas listas com a novidade do Standard.


A Volta dos Mortos-Vivos

Standard e Zumbis novamente juntos.


28º no RPTQ

Conclusões e o Estado do Standard.


As estranhas montanhas que geram Azorius

UW Control e RPTQ.





Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

The_Offspring (16/01/2018 15:19:18)

Se dominar, será banido

And_7552 (16/01/2018 14:29:33)

Pra mim, continua sendo uma decisão bizarra.

Quero ver o que vão banir quando o Gifts começar a dominar o novo metagame.

The_Offspring (15/01/2018 20:31:43)

Ban maior do que o esperado.
Acabou sobrando pro mono Red...
Mas achei que erraram o alvo. O ban era na deusa vermelha!
Acho que até dia 12 ela cai.

The_Offspring (15/01/2018 20:29:11)

Não sei qual a melhor forma, mas pra mim, formato de entrada deveria ser a tal "liguinha" ou selado..

jadsonwy (15/01/2018 17:24:14)

e baniu...

Rubens420 (15/01/2018 14:06:21)

BANIU !

BoloCesar (15/01/2018 14:00:01)

Bidu!!
:)

pezao (15/01/2018 13:52:30)

ruda manja dos paranaue

max_goblin (15/01/2018 09:03:00)

Eu não havia parado pra refletir até hoje sobre isso.. mas poxa.. imagino muita gente só ignorando pq tem receio de mudança e o escambau.. mas ta aí um ponto bem delicado de discussão.

Nos livros que li sobre jogos e design de jogos, é bem claro a importância de entender que o início de jogo, e o fim de jogo, são momento diferentes, que atraem públicos diferentes e devem oferecer desafios diferentes. Tornar o formato porta de entrada, no formato de fim de jogo.. é cruel mesmo.

Me parece muito mais natural, ter vários FNM por semana, de baixo custo de entrada, só para quem estiver entrando puder gastar pouco e entender como funcionam os campeonatos, daí um campeonato sério por semana Modern/Frontier, para o cara aproveitar os cards que sobraram do T2, e que ele gostou de jogar. E formatos como legacy uma vez por mês, com custo alto de entrada, porém grandes e diversificados.
Soa melhor.

The_Offspring (14/01/2018 23:15:57)

Serviçal gasta energia para gerar mana. Attune gera energia para dar um fix na sua curva.
É bem diferente.
Attune tem que sair para começar a falar em uma possibilidade de abertura para outros decks.

The_Offspring (14/01/2018 23:11:08)

A principio concordo.
O formato "carro chefe" do competitivo não deveria ser o formato "porta de entrada".
Acho um tiro no pé.

VIP OURO AdrianoTT (12/01/2018 21:32:55)

Encontrei um artigo que tem muitos termos, mas não tem todos. Faltam até alguns básicos. Vou tentar fazer a busca agora, seguindo sua orientação. Obrigado, Rubens420. :)

Rubens420 (12/01/2018 16:26:17)

lhe recomendo a dar uma googlada em ''magic the gathering slangs'', dá pra aprender bastante sobre os termos e jargões populares

VIP OURO AdrianoTT (12/01/2018 16:04:02)

Obrigado rjmgarcia!

Então, a Relic of Progenitus é um "hate" de cemitério. Entendido. :)

VIP OURO Derkarus (12/01/2018 15:42:40)

Attune é a primeira carta q tem q ir embora

Ela alimenta o HUB e é um tutor de lands no turno 1. Corrige muito fácil a curva e ainda ajuda seus payoffs de Energy No late game.

Serviçal leva Removal e acabou.

pedromollo (12/01/2018 13:48:40)

O problema dos decks de energia além de ser uma mecânica difícil de interagir é o fato de dares splash tão fácil pra qualquer cor. Isso impede o surgimento de outros decks, porque quando surge uma carta boa nova é bem mais fácil o deck de energia splashar e abraçar a carta do que surgir um deck em volta dela. Foi assim com Glorybringer, Scarab God e Vraska. O jogador de Energia joga com 4 cores brincando graças à serviçal do conduite e o Núcleo do éter. Talvez banir a serviçal e deixar o Attune seria uma forma de deixar o deck justo mas ainda jogável.

Rubens420 (12/01/2018 12:49:21)

verdade, não dá pra o formato atender as duas expectativas ao mesmo tempo.

rjmgarcia15 (12/01/2018 12:35:50)

Hate é algo que diminui a eficiência de determinada coisa. Se algo exila o cemitério, esse algo é um hate de cemitério. Basicamente é isso.

VIP OURO AdrianoTT (12/01/2018 10:57:30)

O noob pergunta: o que é "card quality"? O que é um "hate"? Nunca ouvi falar nesses termos antes de hoje.

VIP OURO AdrianoTT (12/01/2018 10:43:38)

Eu acho que esse negócio de energia não tem nada a ver com MTG, lembra muito é Pokémon TCG. Eu, que só jogo pauper, não vejo praticamente ninguém usar isso no formato. Eu já usei em uns decks, que montei de brincadeira, mas sem cartas raras e incomuns para usar essa energia gerada, não faz muita diferença no formato, nem afeta praticamente.

VIP OURO Derkarus (12/01/2018 10:10:03)

Sobre o Standard der noob-friendly...

Por um lado acho bem legal
Jogo com minha namorada Standard na mesa de cozinha. Montamos decks e ficam bem legais, está realmente cumprindo o objetivo de atrair novatos e ser mais simples

Por outro lado, se o formato é projetado para ser um formato para novatos, então RETIREM standard dos pro tours e GPs, deixem apenas no FNM

Assim não haverá um grande interesse em quebrar o formato atrás do melhor deck sem resposta. E vamos todos jogar com decks medianos e dar tempo ao tempo, provavelmente 3 meses vai ser até pouco tempo para uma quebra no metagame.

The_Offspring (11/01/2018 23:49:19)

#sancionafrontier :D

The_Offspring (11/01/2018 23:48:09)

Ah sim, mas depois que dámerda a WotC sempre vem falar:
"nós erramos pq não vimos que a saheeli combava com o gato...";
"nós erramos pq não fizemos um hate pra grave contra delírio...";
"nós erramos pq não fizemos hate contra energia...";
mas o fato é que já faz um tempo que a WotC está forçando decks de bloco no Standard. Algo do tipo "compre as cartinhas desse bloco e faça um deck" encoraja os novos jogadores.
Acho que está claro para todos que a falta de hate (entenda aqui a falta de um mínimo de interações com as cartas do oponente) vem dessa política noob friendly!
Não é possível jogar um formato onde decks de controle são obrigados a usar preto SÓ pelo fatal push! Esper Sun adicionou B do UW por causa de UMA carta!
Quem quiser jogar bichinho vs bichinho, seja feliz no T2!

Reds (11/01/2018 23:26:36)

standard está um lixo pq os deck builders estão jogando pauper #sancionapauper

Pheev (11/01/2018 21:32:26)

passei 3 meses montando o deck pra nada...
depois a WOTC tem a pachorra de vir com o papo de noob friendly, sendo que vem com diversos bans no standard e afastando um público que se empolga o suficiente pra entrar no formato mas que não tem tanta condição assim de se manter, caso o deck que joga sofra com algum banimento.

Gruger (11/01/2018 11:35:22)

O problema do R&D da Wizards já há algum tempo é não promover a interação.
Emrakul era um problema? Sim. E se tivessem lançado alguma carta que interagisse com o cemitério?
Cóptero era um problema? Sim, mas Fatal Push acabou vindo após o BAN.
Marvel era um problema? Sim, mas a única interação era Fragmentize e era sorcery.

Energia é um problema muito sério de design: é um recurso ilimitado e que se acumula durante os turnos. E o pior, você pode fazer com energia, coisas que precisariam de muitas manas para fazer (tokens do Virtuoso e Marvel como exemplos). Mas, novamente, o problema é a falta de interação com a mecânica. Se tivesse um "Mana Short" ou "Vampire Hexmage" para Energia, seria mais viável.

Mas a Wizards tem se negado a fazer cartas que interagem com o oponente. O jogo tem sido sempre focado em recursos na mesa (permanentes) e muito pouco em recursos nas mãos (spells). Aí a solução acaba sendo BAN a cada 3 meses.

amazonswe (11/01/2018 09:40:28)

Cadê? Ainda não saiu a lista?

Zombie_Mercenary (11/01/2018 02:43:00)

O próprio Maro disse que o erro deles foi não ter feito nada para diminuir a força da Enegia, como um hate.

The_Offspring (11/01/2018 01:52:49)

hate contra energia vai contra a ideia da WotC de fazer do Standard um formato "noob friendly".
É essa ideia que está matando o formato.

CarlosKissX (10/01/2018 23:56:27)

Esse ban foi ficando mais evidente a cada campeonato. Bastava existir um hate contra energia, e provavelmente este ban não seria necessário. Mas a meu ver o pior prejuízo não é o financeiro para os jogadores mas sim para a confiança da empresa. O standard passou por um número considerável de bans em pouco tempo.

The_Offspring (10/01/2018 02:59:49)

Ban no T2 nunca é pro bem do jogo. Só deixa claro que o jogo é mal feito e que a empresa quer $.

Zombie_Mercenary (09/01/2018 21:38:42)

EU AMO BANS! Sempre disse isso e continuarei dizendo se é para o bem do game que venha.

Howler (09/01/2018 09:51:06)

Podiam de brinde banirem a hazoret de brinde
Kkkkk
Zoeiras a parte, não possuo nada contra ramunap, porém, caso isso ocorresse, estariam matando os dois principais monstros do standard de uma só vez, dando total espaço para a nova safra de decks que virão por aí.
Independentemente disto, concordo com o derkarus. Serão banidos mais cards além de attune, hub e rogue.
Porém, julgo que o cub prevalece.
Diferente do virtuoso ou da hidra(que geram energia no etb), o cub só gera no dano de combate.
Se matou as formas de ganhar energia, matou 60% da forma dele crescer.

The_Offspring (09/01/2018 04:36:14)

Perfeito, mas isso é péssimo!
O standard não deve ser para iniciantes!
Tá errado!
Já mataram protection e regeneração pq aparentemente são mecânicas muito difíceis.
Agora estão matando as remoções, pq noob não aguenta uma cólera... Tá cada vez pior!

The_Offspring (09/01/2018 04:29:33)

Attune é o banimento mais óbvio!
Não existe chance da WotC deixar energy dominar o T2 até outubro.
E podem falar o que quiserem, mas o deck domina, obviamente, por erro da própria WotC que nunca printou um hate minimamente útil contra energia, e que insiste nessa idiotice de "um standard sem remoções".
Agora com RIX o deck ainda ganha naturalizar e counter por 1 azul, que enterram de vez as poucas remoções brancas.
Ganha tbm um clone por 1UR que nem sei se é necessário...
Enfim, o fato é que o T2 é quase 45% energy, e a WotC vai ter que dar ban ou unban para mudar isso.

Leo785 (09/01/2018 03:22:06)

Muito mimimi...o deck nem e tudo isso! Nem se compara clm3 combo do gatinho ou com o marvel..discordo do artigo.

Noob_Saibot (09/01/2018 00:47:41)

É a tendência do Magic; um jogo onde se usa recursos para baixar criaturas e estrelas (planeswalkers) como se fosse um filme de ação ou da Disney.

É aquilo que falo: "Crise no Standard, crise na Wizards". As coisas só vão piorar, acreditem. Nós vamos nos adaptar a essa situação, porque somos muito melhores e inteligentes do que toda a equipe da Wizards reunida; ela pode saber de lucros, mas jogar, é conosco, público consumidor.

Energy foi uma ideia bem legal, mas executada igual a bunda da Wizards; ela nunca está pronta para aquilo que lança, parece feito nas coxas.

Mas, vamos lá, a gente é guerreiro e aguentamos o tranco!

Rococorico (09/01/2018 00:26:20)

Temur é um deck popular porque é fácil de pilotar. Pro adora treinar para mirror, porque sabe que tem vantagem contra o "jogador médio". O jogador médio quer o deck que o Pro usa. Ciclo vicioso, meta saturado. Ramunap mantém os predadores naturais dos decks de Energia fora dos standings. Também mais difícil de pilotar do que parece, Ramunap não favorece o jogador médio. O que mais me enerva com esse escarcéu pedindo banimento é o quanto ele desmerece todos esses decks que JOGAM. MUITO. BEM. CONTRA. ENERGIA. Não diria "escolha preguiçosa", mas o estado das coisas é definitivamente responsabilidade da comunidade, não da WotC, e pouco tem a ver com o power level de Energia ou a falta de um card que "mate" a mecânica.

Alchemist (09/01/2018 00:19:15)

Concordo com o And, muito do energy hoje em dia é o fator preguiça de jogador. Eu vou no peixe dourado e tem vários decks premiando diariamente nas ligas do mol.
Nos pptqs aqui do rj não me lembro de um que o energy ganhou.
Mas a questão é se todos jogam de energy a chance de energy estar nos tops simplesmentam aumentam bastante.
Emrakul, coptero, gato realmente tinham seus reais motivos de serem banidos. Eram cartas desleais. Mas não acho que o deck energy seja um deck desleal.

Rococorico (09/01/2018 00:17:04)

Aparentemente perdi meu tempo tentando comentar pelo aplicativo da Ligamagic. Após supostamente postado, o comentário só desapareceu pra nunca mais... É bom que depois de quase 2h escrevendo e reescrevendo, reli e praticamente desisti de argumentar. Quem está pedindo banimento não vai mudar de ideia por nada.

Se houver mesmo banimento, será no tom daquele da Maravilha de Sistema Eteráulico: "nossos dados não condizem com a necessidade de um banimento, mas a comunidade insistiu o suficiente". Será feio, será triste e não será efetivo. A comunidade vai chegar noutra estagnação do meta e voltar a reclamar aos quatro ventos.