O Legado do CLM
09/02/2018 10:00 / 4,379 visualizações / 6 comentários
 
Apenas quem estava em Marte não sabia que neste último fim de semana aconteceram as finais do CLM 10 no Frei Caneca, em São Paulo. Finais Standard, Legacy, Modern e Commander para disputar 30 mil reais somados em premiação. Pptqs Standard, paralelos de todos os formatos incluindo Draft e Pauper, mas infelizmente só podemos ter um campeão em cada torneio, mesmo assim diminui a glória que é estar entre os 8 melhores.
 
Mais de 50 apreciadores do bom e velho Legacy disputaram o título de Campeão o que resultou em 6 rodadas com corte para Top 8. Após 6 rodadas tínhamos um top 8 definido e, para surpresa de muitos, não tínhamos apenas 7 arquétipos diferentes no top 8 como apenas 2 decks de Brainstorm passaram do corte.
 
O top 8 ficou assim:
 
2 Mono Red Goblin
1 BG Elfos
1 Czech Pile
1 Mono Red Prison
1 Death and Taxes
1 Canadian Threshold
1 Punishing Jund
 
E tem gente que diz que é impossível jogar Legacy sem Brainstorm… puff, não sabem de nada!
 
Não foi atoa que 6 decks não azuis apareceram nesse top, não foi pura sorte, foram boas escolhas. Eles não têm a manipulação que os decks com 4 Brainstorm e 4 Ponderar têm, mas eles têm algo muito melhor: Sinergia!
 

Jogador

Bruno M Volpato

Visitas

5752

Código Fórum

[deck=790378]
 

Jogador

Mateus D Vaz

Visitas

5482

Código Fórum

[deck=797321]

Deathrite Shaman é um one drop que se não respondido pode causar muitos problemas, mas vocês já viram um Goblin Lackey conectar turno 2 colocando um Goblin Ringleader ou Siege-Gang Commander? É, isso me dá muito mais medo que um elfinho gerador de mana.

Duas listas quase idênticas, decidindo o maindeck no detalhe e com sideboard tunado para match ups parecidas. A grande mudança no main é que o deck do Bruno utiliza o 4º Warren Instigator, e Goblin Settler, onde o Mateus utiliza um Goblin Piledriver e a 4ª Cavern of Souls.
 
Um dia antes do evento o Mateus veio conversar comigo, pois treinamos e jogamos juntos durante uns bons anos, e como conheço bem o estilo de jogo dele, ele resolveu confiar nas minhas escolhas de última hora para o deck, a remoção do Goblin Settler foi devido à diminuição de Miracles no field, durante a época áurea do UWx o Setter era muito importante como disrupt de terreno (principalmente como uma Wasteland/ Rishadan Port adicional contra Karakas, que impediam seu Krenko, Mob Boss de fazer a mesa) e claro, junto com o Kiki-Jiki, Mirror Breaker o Settler se tornava um Destructive Flow, que quebrava básicas, mas já que o UW está em baixa, preferimos a agressão que o Goblin Piledriver adiciona ao deck, além de passar por cima de Delver of Secrets e True-Name Nemesis.
 
 
A maior vantagem de jogar de Goblin é que a habilidade de long game do deck é bem boa, com Goblin Ringleader, Goblin Matron, Krenko, Mob Boss e Kiki-Jiki, Mirror Breaker. Apesar do deck não ter tanta manipulação de deck como os baralhos de Brainstorm, a Card/Board Advantagem gerada pelas cartas citadas acima supera a manipulação gerada por Ponder e amigos. Mesmo não querendo enfrentar um Deathrite Shaman turno 1, o Goblins adaptou o maindeck para passar por cima do Shaman com 4 Tarfire, Pyrokinesis maindeck e até Stingscourger.
 

Jogador

Diego D Ganev

Visitas

8686

Código Fórum

[deck=796769]
 
Qualquer jogador que acompanha o cenário do Legacy no Brasil sabe quem é o Ganev, famoso por, no passado, sempre utilizar a camisa do Superman, mas o que pouco sabem que seu super poder é conseguir obter resultado com qualquer arquétipo. De Delver a Storm, de Elfos a Death and Taxes, Ganev é um ótimo entendedor do formato.

Desta vez ele escolheu representar a tribo mais amada do jogo, trocando os 3 draws do Brainstorm pelos diversos que Elvish Visionary pode fornecer.
Um dos decks que mais ganhou com o banimento do tampo. Agora que a pior bad matchup do deck foi nerfada os Elfinhos podem reinar novamente. Sendo a pior bad match up possível para o Death and Taxes e com a possibilidade de comprar mais cartas que os Delver decks o Elfos vem se posicionando melhor no field cada vez mais nos últimos tempos (vide último classic da Starcity que continha 3 Elfos no top 16).

A Nissa, Vital Force foi uma ótima adição para o baralho, uma maneira de racear qualquer oponente, voltar peças de combo, como Heritage Druid, Wirewood Symbiote e Elvish Visionary. E claro, desvirar seu Gaea's Cradle para fazer o Craterhoof Behemoth da mão, ou através de um Green Sun's Zenith.
 

Jogador

Victor Saes

Visitas

5307

Código Fórum

[deck=797580]
 
O bom e velho Mono White Taxes. Victor Sales utilizou uma lista com maindeck e side bem stock. Um deck bem complexo de ser pilotado e que demanda vasto conhecimento do formato para saber quando partir para a agressão e quando focar no mana denial. Queria ressaltar que Victor estava com 2 Path to Exile e 2 Council's Judgment, com certeza para melhorar a match up contra Eldrazi e que pegaria Goblins e Elfos do top8 de tabela. 

Após reparar que a lista de todos os jogadores do top 8 diminuiu o hate para cemitério e mesmo assim nenhum BR Reanimator chegou ao top 8 fico imaginando se Reanimator não seja uma boa pedida para o próximo torneio.
 

Jogador

Victor C Cabral

Visitas

5680

Código Fórum

[deck=780409]
Sideboard (15 cartas)

4 criaturas

11 outras mágicas

  • Menor Preço

    R$ 379,75

  • Preço Médio

    R$ 468,63

  • Maior Preço

    R$ 550,00

 
No meu artigo da semana passada eu sugeri que Mono Red Prison talvez fosse uma das boas para o evento, e apesar de ser uma lista levemente diferente da que eu indique,i o Victor Cabral jogou com um baralho com a mesma essência que eu sugeri: Soft e Hardlocks com finalização de Planeswalkers ou burns (Fiery Confluence, Quicksmith Rebel e Pia and Kiran Nalaar).

Um verdadeiro predador dos decks sem básicas e que jogam com poucos terrenos e curva baixa. No passado os Prison decks sofriam bastante para decks como Death and Taxes, que tinham disrupts no gameplan do Prison e ainda conseguiam operar com Blood Moon na mesa, agora que o deck utiliza 4 Ensnaring Bridge e 4 Fiery Confluence isso não é mais problema, deixando o deck apenas com o problema de ter mãos não funcionais e ter que tomar muitos mulligans.

Jogador

Eric Tortoza

Visitas

5369

Código Fórum

[deck=797750]
 
Eric Tortoza é um jogador que sempre aposta no Canadian, no passado tendo pulado de galho em galho entre diferentes arquétipos, já faz alguns anos que ele joga apenas de Canadian, e os resultados obtidos só provam o quanto ele é conhecedor do arquétipo.

Uma lista talvez não muito usual mas que se analisarmos carta por carta tudo se encaixa perfeitamente:

3 Tarmogoyf
 
Muitas listas atuais jogam com 4 Goyf ou com nenhum em favor de Hooting Mandrills e True-Name Nemesis, o Goyf é o melhor finisher por custo/benefício que o deck consegue nessas cores e por custar 2 manas o deck que tenta operar com apenas um terreno não quer floodar de drop 2.
 
Serve como Forked Bolt de 2 manas contra Elfos e Death and Taxes, mas é crucial contra estratégia com bixos grandes como Sneak and Show, MUD e Eldrazi.
 
3 Tarfire
 
Um dos removals menos usados no Legacy, por nenhum deck precisar de Delirium, o Tarfire nunca era utilizado fora do Goblins, e ainda tinha o problema de crescer o Goyf do adversário, mas com Deathrite Shaman em alta e Goyf em baixa a carta está em bons lençõis.
 
Por ser basicamente a única vertente de Delver sem DRS (ok, existe o UR mas ele é bem menos jogado) o Canadian pode usar um efeito de Pyroclasm que não o afeta, o Rough (Rough/Tumble), que atrapalha as matchups ruins/apertadas como Goblins e Death and Taxes.
 

Jogador

Felipe Duarte

Visitas

5265

Código Fórum

[deck=796421]
 
Felipe Duarte não é nenhum iniciante no formato, as três estrelas douradas em sua camisa representam as três vitórias conquistadas em Alphas Legacy, organizados no Rio de Janeiro. Ele é mais conhecido por ser um exímio piloto de Lands, conseguindo até conquistar um top 8 no Open de mais de 140 players que aconteceu ano passado. No entanto, para a surpresa de alguns, dessa vez ele resolveu batalhar com o vilão da história: Deathrite Shaman!

O maindeck dele é quase idêntico ao que eu postava quando indicava jogar de Pile. Felipe escolheu jogar com um Gurmag Angler para por pressão em um deck que não consegue matar, Tasigur, a Presa de Ouro seria uma criatura com mais utilidade para o baralho, mas como o deck não tem Wasteland, Karakas é um problema, e o peixe é maior que Tarmogoyf e ainda consegue trocar com um Reality Smasher.

O side é mais focado em match ups fair, já que as unfair, apesar de não serem tão fáceis, podem ser combatidas com os descartes de main e chuva de counters que vem post board.
 
Czech Pile atualmente é um dos decks mais caros do formato, mas é um dos mais poderosos, no começo eu relutei em querer jogar com o deck, e depois que testei vi o quão bom e divertido o baralho consegue ser.
 

Visitas

7160

Código Fórum

[deck=797322]
 
E por último, mas não menos importante, o campeão do torneio: Joaquim Damasceno de Punishing Jund!
 
Jund é o deck que consegue bater de frente com qualquer arquétipo do formato, ele só precisa comprar a metade correta do deck. Muitos descartes, removals e ótimas criaturas constituem esse arquétipo, enquanto você estiver comprando a metade certa do deck você terá bastante sucesso.

Apesar de Jund ser um dos melhores decks não-azuis contra os Brainstorm.deck, as vezes o deck acaba sofrendo por não ter tanta manipulação como os oponentes, mas já que o top 8 eram apenas 2 decks de Brainstorm e outros 5 decks sem manipulação, o Jund era bem favorito desde o momento que o top 8 foi anunciado, Elfos, Goblins e DnT sofrem muito para recursão de Punishing Fire, Czech Pile tem problemas em fechar os jogos depois de controlar, possibilitando um ou dois topdecks opressivos do Jund, Chalice of the Void pode não ser a melhor carta contra Jund e Blood Moon não ser tão potente contra um deck com vermelho e que tenha básicas das outras duas cores. 3 partidas depois Joaquim se consagrou campeão do CLM!
 
E você, o que achou desse top 8 com apenas 2 decks azuis? Deixe sua opinião nos comentários e até semana que vem!
 
 
TAGS: 

Bruno Ramalho ( Bruno_Orelha)
Aficionado por Legacy, sempre que pode joga com decks que matam com terrenos e não dispensa uma ativação de Vial no passe.
Redes Sociais: Facebook
LigaMagic App

ARTIGOS RELACIONADOS

Report CLM10 - Grixis

Report da final Standard.


O CLM Modern e o Standard

Analisando os resultados dos eventos.


Diário de Bordo do Legacy

Uma nova fronteira para explorar!


Minhas Escolhas para o CLM 10

Legacy e Modern.


A Evolução do Deck - Show and Tell

A história do combo.

MTG Cards



Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

DigitalMagic (12/02/2018 08:32:50)

O mwlhor de tudo é que mesmo após anos sem jogar um legacy, os decks continuam quase os mesmos... Um dia arrisco de novo a brincar com vcs... Saudades dos champs Legacy com mais de 100 players... Parabéns pelo artigo grande abraço

SaitoSan (10/02/2018 08:43:33)

Gostei demais do Top8, meus decks tb não tem azul e é possível fazer bons resultados sem Brainstorm e FoW.
Espero poder participar do Nacional Legacy, vai ser demais.

TaMpO_RoX (09/02/2018 19:03:35)

Ligamagic sempre mostrando como que se faz ótimos Campeonatos Legacy, se fosse aberto tenho certeza que seria o maior Open Legacy do país.

alxcrazy (09/02/2018 18:51:10)

Parabéns pelo artigo e a Ligamagic pela organização deste evento! Infelizmente só pude acompanhar via streaming, mas no próximo quero estar como jogador.

De fato o grande Open mencionado é o Nacional Legacy.

Grande abraço!

Roberto_Cardoso (09/02/2018 15:19:52)

Achei que faltou Reanimator nessa parada.

KasumiFox (09/02/2018 10:31:12)

Monstro! Achei esses elfos muito sexys Hahah