Draft Time - Entrando no Standard
07/03/2018 15:00 / 2,142 visualizações / 7 comentários

 

 
Saudações, WebWalkers!
 
Venho desde dezembro trazendo a vocês conteúdo dedicado exclusivamente ao formato Draft, como o artigo “Por que jogo Draft?” e "Como jogar draft com “Rivais de Ixalan”, com o intuito de dar suporte a esse formato e também encorajar as pessoas que nunca jogaram, a experimentar. 
 
E hoje, proporei uma reflexão: Podemos utilizar o Draft como porta de entrada ao Standard competitivo?
 
Em minha opinião, sim, e desejo que vocês tragam essa discussão também aos comentários. Lembrando que o “Competitivo” aqui está relacionado ao início do processo, portanto se você já joga campeonatos de Standard desejo que este artigo reforce em algum ponto sua experiência com o MTG, se você ainda não joga desejo que este artigo lhe encoraje a adentrar nesse formato.

Dito isso, vou começar a discorrer sobre o porquê acredito que tal situação seja possível.
 
........................................................................................................
Primeiramente, caso você ainda não esteja familiarizado/a, o Standard (ou formato Padrão) é um formato onde valem as coleções mais atuais lançadas até então. E o formato Draft geralmente utiliza os boosters das edições mais recentes, logo, você já está adquirindo cards permitidos no Standard. Seguindo essa lógica, elaborei 5 reflexões:
 
1 - Familiarizando com as coleções
 
Sabe aquela sensação de “Nossa quantos cards!”? Então, o Draft permite que você entenda como eles funcionam dentro da proposta de uma Coleção, além de desenvolver a sua capacidade de construir arquétipos e combinações. Você pode, por exemplo, começar marcando com alguns amigos/as de comprarem 3 boosters cada e realizarem um draft de mesa de cozinha, até que depois se sintam à vontade de ir em uma loja (ou outro lugar).
 
Nos drafts podemos explorar cada mecânica da nova edição, o que nos ajuda a entender melhor os cards e ao entrar no Standard, em muitos casos, temos isso ampliado, um caso recente é Explorar, uma mecânica de bloco que ajuda um baralho Standard a funcionar.
 
2 - A Estrutura de Campeonatos
 
Ou ainda aquela sensação de “Eu nunca vou conseguir jogar um campeonato”. Pois bem, se os eventos de Pré-Lançamento ainda te assustam um pouco pelo tamanho, experimente um Draft organizado em formato de campeonato oficial. Onde com apenas 8 pessoas (até menos dependendo da Organização) é possível realizar um, ou seja: Pareamento, DCI, premiação, etc. 
 
 
Esse começo de experiência te ajuda a entender a importância dos paraementos, além de se acostumar com um torneio de três rodadas (o padrão para o draft), te colocando já no ritmo de torneios como FNM e Showdown.
 
3 - Premiação e coleção pessoal
 
Neste tópico vou resumir a historinha de um amigo meu: iniciante até então, começou a jogar Drafts. Foi acumulando alguns cards, entendeu o formato e passou a conquistar uns boosters extras conforme melhora em suas colocações.

Além de sua coleção ir aumentando e ele tirar alguns cards chave para decks do ambiente, a experiência de jogo o fez crescer visivelmente e o ajudou a se arriscar em campeonatos Standards. Sendo que após apenas alguns anos, já está indo também para o Modern. Ou seja, um jogador que começou montando sua coleção aos poucos e teve esse começo justamente draftando, onde ele podia adquirir uma série de cartas novas a cada evento.
 
4 - Troca de cards, ajustes
 
Baseando-se no exemplo anterior, perceba também que com sua coleção pessoal aumentando, é possível trocar cards que não lhe interessem por aqueles que faltam para ajustar seu deck Standard, vender e comprar as singles de seu interesse, além de ajustar produtos que venha adquirindo conforme novos lançamentos.
 
5 - Suporte de produtos,
 
Recentemente foram lançados os Challenger Decks, os quais são excelentes para um início imediato no Standard. Porém, importante notar que os decks, no caso, cobrem as coleções de Kaladesh, Revolta do Éter, Amonkhet e Hora da Devastação.

Supondo que uma pessoa, por exemplo, tenha jogado alguns Drafts de Ixalan e Rivais de Ixalan, já é possível comprar um Challenger que se encaixe com a coleção adquirida até então, modificá-lo e estar ainda mais apto para entrar no universo competitivo!
 
Conclusão

Toda essa teoria que eu trouxe hoje, e sempre venho trazendo em outros artigos, é extremamente baseada na minha experiência pessoal, e as minhas observações de amigos e amigas jogadores/as. Completo esse ano 17 anos jogando MTG, e já tive idas, vindas e pausas no Standard, assim como muitas outras pessoas.

Pré-Lançamentos e Drafts já me ajudaram muitas vezes a voltar para o Standard despretensiosamente, pois para mim o Magic é acima de tudo um hobbie. Avalie como percorrer esse processo (Casual – Draft – Campeonatos ) pode ajudar a amadurecer seu jogo e te tornar um/a jogador/a cada vez mais experiente, até que um dia você possa ajudar outras pessoas a entrarem nesse jogo e lhes passar o máximo de conhecimento o qual você maturou em seu caminho.
 
Por hora, estou aqui passando parte do que funcionou para mim, e peço que deixem nos comentários as experiência de vocês também. E para saber mais sobre o Standard pela própria WOTC, acesse aqui.
 
Até!
 
Felipe Bracco
 
 

Felipe Bracco (VIP STAFF Bracco)
Viciado e apaixonado pela mana vermelho, adorador de Goblins, viajante das teorias, curioso e observador! Buscando sempre expandir os limites da minha própria escrita e do que pode ser escrito.
Jogo Magic desde 2000, e hoje estou mergulhado inteiro na comunidade. Sou inclusive administrador do MTG LGBT, grupo de Magic no Facebook visando acolhimento e promoção de eventos relacionados.
Se quiser saber mais sobre, entre em contato!!!
Redes Sociais: Facebook
LigaMagic App

ARTIGOS RELACIONADOS

Virando para a Direita no Standard

Listas para os primeiros torneios.


Golgari Midrange no Standard

Lento e poderoso.


Rascunhos do novo Standard

Guildas de Ravnica tendo impacto no formato.


Real Rogues! – Bora de Boros!

Batalhão em prontidão nos Rogues.





Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

Mana_Z (09/03/2018 06:26:16)

Super legal o artigo! Acredito que vá ajudar muitxs jogadorxs a iniciar com mais confiança no formato!

VIP STAFF Bracco (08/03/2018 14:46:01)


Vdd tem essa dos torneios grandes. Otimo exemoplo!

HLuc (08/03/2018 14:37:01)

Super concordo, acho o draft um bom caminho para iniciar no standard, mas na minha experiência, é ótimo principalmente para se iniciar no ambiente competitivo em geral. A dinâmica do draft reduz muito o fator "sorte" do jogo e exige muita habilidade do jogador. Sem contar que em torneios grandes de selado, o vencedor do top 8 é definido em um draft.

VIP STAFF Bracco (08/03/2018 14:18:38)


Total!

O importante tb eh perceber que mais que uma "super pool logo de cara" eh o processo de desenvolvimento de jogo.

Muitas pessoas perdem uma rodada ou aproveitam pouco do jogo pq desconhecem os potenciais dos cards e como usá los.

Ao mesmo tempo que pode rolar uma ansiedade pra querer resultado etc

VIP STAFF Bracco (08/03/2018 14:16:34)

Olha eh uma ideia ein! Obg :D

rodrigo-3190 (08/03/2018 13:06:22)

É. Relativamente da para falar que é uma porta de entrada, mas infelizmente(na minha opinião ) demora um pouco, já que pool de uma coleção pode ser pequeno. Porém é aquela coisa, staples do standard acabam sendo picks bons no draft muitas vezes.
Se o jogador já tem uma ideia de arquétipo que ele quer seguir no Standard aí é fácil de montar.
Exemplo disso são os RDW, que é um arquétipo sempre no mínimo semi competitivo, boa parte das pools são fáceis e baratas de pegar, fora que em drafts é um bom momento para fazer trocas (depois do draft)

Lucouto (07/03/2018 16:38:57)

Sim o draft ajuda muito sim para compor uma pool standard, assim como a recem criada liga... Podia falar um pouco sobre a liguinha também né?