O Submundo do Modern - Primal Company
04/07/2018 10:00 / 5,909 visualizações / 9 comentários
 
Olá novamente, amigos do Submundo! Felizmente, nada no nosso humilde formato mudou na última segunda-feira. Também, depois de voltar com Jace, the Mind Sculptor e Bloodbraid Elf, é bem compreensível que a Wizards espere mais um tempo antes de balançar o Modern novamente.
 
Eu até estava esperando para começar a escrever esse próximo Submundo do Modern com base em algum desbanimento, já que algumas cartas que permanecem na lista poderiam ser responsáveis por algumas estratégias novas. Infelizmente esse não foi o caso, mas felizmente nada foi adicionado à lista também. Sendo assim, continuamos com nossa programação normal, e hoje é dia de coisas verdes e grandes por aqui!
 
Não, não estou falando do Hulk e também nem tão grande assim, visto que apenas duas criaturas se encaixam nesse quesito na lista a seguir. Contudo, já são mais do que suficiente para levar um destaque de antemão. Vejam só, pilotado pelo user Fulgence em ligas no Magic Online, o Primal Company:
 
Primal Company - Modern
2018-07-03

Jogador

Teddy_Bear_X

Visitas

6246

Código Fórum

[deck=934529]
 
Acabei me empolgando no tema devoção da última lista e fiquei pensando se já havia abordado todas as cores com essa estratégia no Modern. A resposta foi claramente negativa e comecei a procurar por listas contento Nykthos, Shrine to Nyx. Apesar de não ser de uma cor que ainda não foi abordada aqui, a lista em si é bem diferente dos decks que já entraram nos holofotes do Submundo.
 
Pra falar a verdade, Nykthos nem é a atração principal desse deck, tanto que nem aparece no nome da lista. O que chama a atenção mesmo é a presença de Primal Command e Collected Company, que não é nada criativo em questão de nomenclatura, mas que realmente acabou fazendo um nome legal. Melhor, pelo menos, do que algo como Primal Devotion Company, ou Collected Devotion Command... Ou qualquer outra combinação.
 
Enfim, a lista tenta tirar proveito máximo dessas duas cartas e, para isso, dá para perceber que a seleção de criaturas deve ter sido bem difícil para nosso amigo. Não dava pra lotar de criaturas pesadas, deixando nossa Company inútil, mas também não dava para usar apenas criaturas pequenas, deixando nosso Command bem mais fraco. O poder de achar várias criaturas pequenas acabou se unindo muito bem ao de achar uma criatura para finalizar, por fim, dando à luz a essa lista.
 
Apenas nosso Craterhoof Behemoth e Woodland Bellower não podem ser encontrados numa Company (junto com as mágicas que não são criaturas), o que nos deixa com um total de 27 criaturas para ser alvo dessa mágica instantânea. Ótimo, ainda mais quando essas criaturas possuem efeitos bem interessantes para o desenvolvimento de nossa partida, e é nisso que o deck ganha força: interações entre nossas criaturas e essas mágicas que buscam por elas.
 
Nossa jogada mais forte aqui é, provavelmente, um começo onde consigamos conjurar uma Collected Company no segundo turno. Para isso, basta começarmos a partida com um Arbor Elf e, no segundo turno, conjurar um Utopia Sprawl. A partir daí nós geramos dois manas com o terreno encantado, desviramos ele com o elfo e conseguimos mais dois manas, o suficiente para nos garantir duas criaturas no campo de batalha.
 
A coisa fica ainda mais divertida se uma dessas criaturas for uma Eternal Witness, pois podemos voltar para nossa mão a recém conjurada Company para repetir o processo no próximo turno.
 
 
No caso de termos acesso a um Nykthos depois disso, a quantidade de mana que será gerada é enorme. Digamos que nessa primeira Company seja encontrada uma criatura com 2 símbolos de mana verde e outra com 1. Em nosso terceiro turno, viramos o terreno encantado para gerar 4 manas com o Nykthos, mais um mana com o terreno inicial e mais dois manas desvirando o terreno encantado. 7 manas no total em nosso terceiro turno! Se dermos sorte de conseguir duas criaturas com 2 símbolos verde cada, teremos 8 manas, o suficiente para conjurar nosso Craterhoof Behemoth!
 
Ok, ter tudo isso disponível assim de cara é bem difícil, mas é legal de se imaginar que a jogada é possível. De qualquer maneira, mesmo sem um Nykthos ou tanto símbolo de mana verde tão cedo no jogo, ainda teríamos acesso a 6 manas no terceiro turno, o suficiente também para conjurar qualquer coisa que não fosse o Behemoth.
 
O mais legal com tudo isso de mana é que podemos começar a usar e abusar da recursividade de nossa Eternal Witness e conjurar uma grande quantidade de Collected Company e Primal Command. Podemos, por exemplo, achar uma Eternal Witness com nosso Fauna Shaman, trazer nossa Company de volta e a conjurar novamente, procurando por uma segunda Witness e repetir o processo. Podemos também procurar por um Woodland Bellower se tivermos mana para conjura-lo, tanto com o Shaman, quanto com um Command, que trará para o campo de batalha uma Eternal Witness e continuamos com o loop.
 
 
Quanto mais vezes repetirmos esse procedimento, maior a quantidade de mana que vamos obtendo com a presença de um Nykthos, Shrine to Nyx no campo de batalha e, caso ainda não o tenhamos encontrado, nada nos impede de sacrificar uma floresta qualquer com um Knight of the Reliquary e achá-lo sem problema algum.
 
Se já temos acesso a um Nykthos e a um Knight, podemos ainda usar a habilidade do terreno, gerar uma quantidade enorme de mana com ele, sacrificar uma floresta qualquer com o Knight e pegar um novo Nykthos, que conseguirá gerar mais uma enorme quantidade de mana. Somando isso ao loop que citei com Witness, mana e criatura é o que não faltará no campo de batalha, e poderemos finalizar a partida no próximo turno com um Craterhoof Behemoth.
 
Vale notar que a lista não depende em nenhum momento de um começo explosivo como os citados até agora para vencer. Pelo contrário, pois contamos com criaturas para qualquer momento do jogo e, se precisarmos ganhar tempo, também conseguimos com elas.
 
Strangleroot Geist e Kitchen Finks são as melhores que temos para esse propósito, não morrendo de fato na primeira vez que batem no cemitério, garantindo tanto um corpo bom para combate, quanto (com Finks) alguns pontos de vida também, ou seja, decks agressivos se atrasarão um pouco tentando atacar livremente por cima dessas criaturas.
 
 
Fauna Shaman consegue encontrar essas criaturas ao custo de alguns dorks se for necessário. Obviamente ele pode encontrar qualquer criatura, então só temos de ver a nossa situação de jogo e qual criatura é a melhor para o momento. Estamos precisando nos defender? Essas últimas duas são perfeitas. Precisamos reutilizar algo? Eternal Witness é o caminho. Queremos apenas mais devoção para o verde? Bora pegar uma Wistful Selkie. Só queremos finalizar a partida? Craterhoof Behemoth.
 
Ah! Aproveitando que citei a Selkie, ela e Burning-Tree Emissary são algumas de nossas melhores criaturas para ajudar na devoção pois, apesar de ficarem devendo um corpo bom e habilidades em combate, garantem uma vantagem de mana ao nos oferecer mais criaturas de graça, com o Emissary, ou simplesmente nos dando mais cartas, com a Selkie. Pode parecer pouca coisa pelo que pagamos, porém, nessa lista, os símbolos de mana em seus custos realmente podem ser tratados como uma habilidade adicional, o que as deixam muito melhores.
 
Para finalizar, literalmente, se não tivermos mais acesso a um Craterhoof Behemoth, ou se por algum motivo o ataque com várias criaturas se tornar inviável, basta procurar pela nossa cópia de Kessig Wolf Run e usar toda a nossa devoção para deixar uma de nossas criaturas gigantes. Essa estratégia é interessante, inclusive para burlarmos cartas como Ensnaring Bridge, já que podemos atacar com uma Birds of Paradise mesmo com o oponente tendo 0 cartas na mão e, depois do ataque declarado, usamos esse terreno para aumentarmos o quanto for possível o poder desse passarinho.
 
As linhas de jogo com essa lista são muito variadas, o que consegue fazer com que cada jogo seja único e o oponente tenha que se preocupar com vários ângulos de ataque. Várias criaturas pequenas, uma criatura grande, a resiliência das criaturas e o reaproveitamento do deck todo. Sem contar que o próprio Primal Command é um ótimo sideboard na lista principal contra qualquer coisa que use cemitério ou decks que acabam com a nossa vida rapidamente; sem falar ainda que pode cuidar de qualquer coisa que não seja uma criatura ou, se for necessário e conveniente, simplesmente atrasar uma compra do oponente ao mesmo tempo que tira algo extremamente chato do nosso caminho.
 
Além de tudo isso que temos na lista principal, com a presença de todos esses tutores de criaturas e terrenos, nosso sideboard pode tranquilamente virar uma caixinha de ferramentas contra as mais variadas estratégias que esperamos encontrar num torneio. Apesar também de nosso foco ser a cor verde, contamos com algumas fontes de mana branca e vermelha para um leve splash, o que aumenta ainda mais o leque de opções para nosso sideboard.
Como nossa estratégia depende também de criaturas que custam menos de 3 manas e que nos ajudam a gerar devoção, algumas criaturas podem entrar facilmente na lista dependendo da sua vontade, orçamento ou visão de jogo. Predator Ooze, Steel Leaf Champion, Courser of Kruphix e até mesmo o sumido Vexing Shusher. Além do mais, é sempre interessante ficar de olho nas coleções que virão para achar novidades para a lista.
 
Espero que tenham curtido a estratégia! Não deixem de comentar, e tentarei responder às dúvidas sempre que possível. Não se esqueçam também de sugerir listas para a coluna. Até o próximo Submundo do Modern, galera! Abraços! 
 
 
 
TAGS: 

LigaMagic App

ARTIGOS RELACIONADOS

Real Rogues! – A Balista Mortal

Liliana e Balista, juntos até a morte!


Jogue como uma Garota

O report e os destaques do melhor evento da minha vida.


Report Top4 Grand Prix São Paulo

Report e Sideboard Guide do Mono Green Tron.


12º no GPSP de BBE Shift

Report e Guia do Baralho.





Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

spydernattan (05/07/2018 09:49:42)

correto galera, eu só coloquei fires of yavimaya no deck no programa para testar com haste pra minha mesa. Eu usaria jeskay ascendancy no lugar, já que o deck tmbm gera azul e geralmente as permanentes são colocadas na mesa atraves de um genesis wave.

surfe (05/07/2018 09:18:09)

Creio q a "remoção" seja Comando primal, jogando alguma permanente chata, tipo uma ponte, para o topo e eternal witness para "recilar" o card.
Porém acho q deveria ter pelo menos 1 reclamation de main deck para ser tutorado e ajudar a quebrar essas coisas

Charlesandrew (04/07/2018 23:50:11)

Fires of yavimaya não é valido no modern, mas tem Fervor que é valido e faz o mesmo.

HHHH (04/07/2018 22:15:46)

Esse deck tem um problema enorme: não tem remoção. Se vc não puder quebrar o plano de jogo do seu adversário ele irá quebrar o seu.

morgoth_lotr (04/07/2018 17:14:03)

Fires of Yavimaya é legal em Modern? 🤔

aziszoo (04/07/2018 12:41:19)

Sai as selkie, entra mais uma witness e um geis/finks. Ela é realmente muito ruim.

spydernattan (04/07/2018 11:44:13)

Eu jogo com uma versão deste deck chamada "Panharmonicon wave" a ideia do turnos iniciais é a mesma, utopia sprawl, elfo que desvira land, bichos com devoção, faz um garruk aqui, um nykthos ali e boom, turno 4~5 consegue fazer um genesis wave pra 9, aí acerta uma eternal witness, umas lands (de preferência nykthos), acerta mais um garruk, acerta um panharmonicon, ai o deck "comba".
eu fiz uns ajustes no deck e coloquei outras win conditions, Maniaco do Laboratorio, Banefire (que nao pode ser anulado) e kessig wolf run.
Tambem adicionei Fires of Yavimaya pra dar haste pros elfos acertados no genesis wave.
É um deck bem legal de se jogar, vou baixar este daí e jogar com ele pra ver!

tattoowalker (04/07/2018 11:12:23)

Mais um deck pro plantel do modern.. deck maneirissimo mas sofre muito com a jaula

Fabio-Patrick09 (04/07/2018 11:10:34)

deck interessante em...