Diga, Mauro. Vai Mudar
O ban do dia 21.
15/10/2019 18:00 - 6.917 visualizações - 25 comentários

Eu escrevo sobre Magic desde 2011, sendo que desde 2012 para a LigaMagic. Meu principal assunto sempre foi o Standard e nessa quase uma década eu falei algumas vezes sobre bans no formato. A primeira vez foi sobre o Caw Blade, era o primeiro ban após a Era do Affinity, mas assim que Batterskull foi lançada todos sabíamos que Stoneforge ou Jace TMS seriam banidos, no final foram ambos. Até então, o Standard era marcado por ser um formato com poucos banimentos, como eu já disse, a última vez que tivemos um ban, antes do Caw Blade, foi durante o Affinity, uma mecânica que claramente foi um erro e que demorou anos para estabilizar até mesmo em outros formatos. A falta de banimentos prometia um formato mais estável e que valia a pena competir, a questão da rotação era um tabu, mas acabava sendo bem recebida após 2 anos jogando com baralhos parecidos e que precisavam de renovação. ban era coisa de formato Eternal, era a rotação deles.


Durante o Standard de Khans mudaram a rotação para algo mais curto, e comentasse à boca miúda que um dos motivos para isso foi para evitar o banimento de Collected Company, carta que fez Bant Company e Rally decks imbatíveis. A rotação voltou ao normal logo após esses baralhos deixarem o formato e entramos no fatídico período de SOI e Kaladesh, onde o Standard teve uma chuva de banimentos, Emrakul, o Fim Prometido, Maravilha do Sistema Eteráulico, Mago Refletor, Cóptero do Contrabandista, Guardião Felidar, Ferocidonte Enfurecido, Ruínas de Ramunap, Rogue Refiner e Harmonizar-se com o Éter. Essas várias mudanças resultaram em uma desconfiança grande com relação ao design das cartas e ao próprio formato Standard, é difícil jogar competitivamente um formato que tem rotação a cada dois anos e rotações adicionais a cada edição, fica compreensível quem vai aos formatos mais casuais simplesmente porque se sentem mais seguros. Também nessa época foi oficializada uma equipe da Wizards responsável apenas em jogar os futuros formatos Standard, podendo observar possíveis falhas.


Seguimos muito bem, obrigado, e chegamos ao advento do Arena, quando um número impressionante de jogadores começou a ter contato com o Standard. Inclusive, graças ao Arena, Nexus foi banido na BO1.


No fim do último Standard tínhamos um formato com Scapeshift fazendo muito com Campo dos Mortos, além de um Golos deck, um ramp que usava Nexus e cartas midrange. Esse mesmo deck se manteve com boa parte das suas cartas-chave e tem sido a principal estratégia do Standard, nos fazendo novamente falar sobre bans.


No último dia 7 saiu uma atualização da banlist e apesar de muita gente falar sobre Campo dos Mortos, tivemos um simples no changes.



Aqui é importante entender o porquê de pedirem um banimento e o porquê de não banirem.

 

Banir


Campo dos Mortos é uma ameaça, ele calmamente vai dominando à mesa e se o seu oponente não fizer algo, logo será dominado por uma quantidade absurda de zumbis. Toda ameaça precisa de respostas, ou ela vence o jogo. E quando falamos de Standard, nossas respostas são limitadas, sendo que mais limitadas ainda se falamos de terrenos, até porque raramente esse tipo de carta causa problemas no formato. Antes da rotação tínhamos, Lua Alpina, Blood Sun e Field of Ruin eram cartas que podiam segurar o Campo dos Mortos, mas nenhum deles continuou, enquanto que o Campo achou uma casa. Ashiok não é exatamente o melhor hate para o deck, ele evita algumas ações no começo, mas poucos faz quando o Campo já ligou, nessa situação ou você usa Troféu do Assassino, ou algo marginal, como Demolir. Uma ameaça que não tem respostas é uma ameaça que vai dominar todos os jogos, e o Standard não pode ver isso, dado o pouco espaço que o formato tem para manobrar até o lançamento da próxima edição.


Nõo Banir


Dois pontos apoiam o “No changes”, o primeiro é a questão da confiança, o Standard tem cada vez mais adeptos, então o banimento vai impactar mais gente e gerar mais desconfiança, apenas minando o formato que devia ser o carro-chefe da Wizards. Outro ponto é que estamos discutindo sobre banimento com apenas duas semanas de nova edição sendo válida, ainda não tivemos o Mythic do Arena, o Pro Tour e mesmo na MPL tivemos poucas etapas. Banir é assumir que o formato está resolvido e não que o Golos seja uma métrica onde você precisa jogar ou abaixo, ou acima dele, coisa que diversos decks já fizeram e ninguém pediu ban.

 

Quando a Wizards opta por manter tudo como está ela entra na segunda abordagem, mas eu não estaria escrevendo isso se nossos amigos Magos da Costa não resolvessem.mandar essa bela surpresa para a quarta-feira passada:



Não bastasse colocar a banist dia 18 de Novembro, apenas um mês após a anterior, o que já indica que algo deve ser banido sim e que eles não queriam esperar outra edição, a WotC resolve colocar uma banlist para daqui duas semanas. Mas o que mudou? Nesta quarta-feira, dia 9, foi o prazo final de entrega das decklists dos participantes do Mythic Championship V, e é possível dizer que vendo um torneio cheio de Golos a Wizards resolveu que não vai mudar o formato deste evento, mas que não vai querer o Pro Tour da mesma maneira, então logo após o torneio teremos mudanças drásticas, provavelmente no Standard.


Sempre fui contra banimentos, considero uma ação violenta contra os jogadores e um tipo de erro de design que deva ser acidental e que deva ser feito de tudo para ser evitado. De fato, eu sou contra o banimento do Campo, preferia que se algo fosse ser banido demorasse mais, dando mais tempo para um meta se desenvolver. Mas esse anúncio indica que não será assim, e que dia 21 Campo dos Mortos deixará de ser válido no Standard. Banir ele já resolveria o problema, banir cartas como Golos, são paliativos para o deck, quebrar logo a ameaça sem respostas é a melhor linha.


Até mais!
Ruda

Rudá Andrade dos Reis ( Ruda)
Aficionado por decks azuis agressivos, mas que não dispensa um bom Siege Rhino nas horas vagas, está no Magic desde 2003, em Flagelo.
Redes Sociais: Facebook, Twitter
Comentários
Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.
(Quote)
- 16/10/2019 21:05

mano, criatura bunduda? bichinho 0/3 e 1/2? ta maluco rapá?
na sua opinião o ban deveria ser onde então?
kkkkkkkk, que loucura velho...

(Quote)
- 16/10/2019 09:13
Na minha humilde opinião acho que o pior são essas criaturas bundudas de custo baixo que impedem dos aggro dar cabo desse Golos, aquele macado e agora o ganso geram muito valor e ainda de quebra são bons bloqueadores contra Golos, talvez o ban não seja no Field of the Dead e sim em algo que impeça os aggo de se manterem melhor posicionados no meta atual.
(Quote)
- 16/10/2019 00:49
Eu voltei a jogar magic anos passado, com dominária e M20, após longos anos, na éra de M15 e Return to Ravnica. Adorava jogar com os amigos, mas eu gostava mesmo era colecionar. Voltei a jogar agora com foco mais no standard, curtindo muito o ambiente do mono red Hazoret e muitos e muitos bons momentos no beta do Arena. Joguei grande parte de 2018 e 2019 o Standard físico, com decks desde o meu rogue Rakdos com Spawn of mayhem até bant Oketra e terminando a fase com Bant Scapeshift com o lindo terreno Campos dos mortos. Ao perceber a dificuldade de acompanhar o formato tão volatil, fui migrando para os formatos eternos e casuais, principalmente Commander. Quando olhos para o standard, percebo que o investimento não é apenas financeiro, é de tempo e treino, competitividade a flor da pele (nas lojas sempre foi agressivo, mesmo em um simples FNM). E finalmente, eu como player que investe tempo e dinheiro no formato padrão, fico absurdamente desgostoso em ver a Wizard não sabendo fazer um jogo equilibrado, criando mecanicas que realmente sejam saudaveis. Eles ganham rios de jogadores assiduos, que montam decks, gastam horas acompanhando e entendendo o formato para que então venha a wizards e corrija o formato porque acha conveniente. E é por essas e outras que eu fico realmente incomodado em jogar um formato tão manipulado e não necessariamente equilibrado pela própria criadora. Acabei indo para o casual por amar Magic e não deixar frustar por esse gasto despretencioso de dinheiro e tempo. Quando a wizards perceber que precisar colocar mais esforços para evitar falhas de banimentos, assim será o momento de dar valor ao formato padrão. Enquanto ela achar que pode controlar o erro removendo ele de jogo, com banimentos, só fará a comunidade amar formatos como commander, livre e casual e odiar formato que querer um esforço, mas não dá a troca que os jogadores merecem!
(Quote)
- 16/10/2019 00:27
acabei de passar raiva numa ranked por causa desse deck kkkkk. ler isso eh um colírio para os olhos xD
(Quote)
- 15/10/2019 18:05
Vai tarde fnm aqui 12 deck 8 golos
Últimos artigos de Rudá Andrade dos Reis
Pioneer Bans
Entendendo a última banlist e olhando para o futuro do formato.
7.417 views
Pioneer Bans
Entendendo a última banlist e olhando para o futuro do formato.
7.417 views
Há 6 dias — Por Rudá Andrade dos Reis
Eu não quero ver o Oko
O problema do Standard e outros formatos.
9.991 views
Eu não quero ver o Oko
O problema do Standard e outros formatos.
9.991 views
Há 11 dias — Por Rudá Andrade dos Reis
30+ Decklists de Pioneer
O começo do formato, e sua diversidade
27.891 views
30+ Decklists de Pioneer
O começo do formato, e sua diversidade
27.891 views
Há 19 dias — Por Rudá Andrade dos Reis
Urza Outcome e Eldraine
Atualizações e novas versões do baralho.
7.662 views
Urza Outcome e Eldraine
Atualizações e novas versões do baralho.
7.662 views
Há 26 dias — Por Rudá Andrade dos Reis
Gruull Hast Mich
Atualizando o deck com Eldraine
6.219 views
Gruull Hast Mich
Atualizando o deck com Eldraine
6.219 views
08/10/2019 18:05 — Por Rudá Andrade dos Reis