Load or Cast
Dez Dias de Bolts
Report Bootcamp e Magic Fest São Paulo
19/11/2019 19:08 - 6.632 visualizações - 2 comentários
Load or Cast

Olá! Nesses últimos dias, tive o privilégio de participar do Bootcamp da LigaMagic Bolts, projeto pioneiro aqui no Brasil de alugar uma casa para que um grupo de jogadores possa se concentrar e treinar para um grande torneio, no caso, o Magic Fest São Paulo disputado nesse último final de semana no formato Standard. O artigo de hoje será um report de como foram esses dias, a nossa preparação, conclusões, e resultados colhidos. E que resultados conseguimos!


Tivemos oito jogadores participantes: Juliano "babones" Gennari (coordenador do time), Danilo "Kaies" Modesto, Lucas Caparroz e Matheus "sandoiche" Yanagiura (membros do time), Eduardo "L1X0" Vieira (convidado) e os selecionados Marcos "Caverna" Brandt, Bruno Calazans e Pedro Dantas. Dentre eles, sete de oito fizeram Day 2, com o Kaies vice-campeão, Caparroz Top 4, L1X0 e Calazans Top 16, eu no Top 32 e Caverna no Top 64. O deck escolhido pela maioria foi o Sultai Sacrifice com Familiar do Caldeirao, exceto pelo L1X0 e pelo Caverna que trocaram o azul de Oko, Ladrao de Coroas pelo vermelho de Diabo do Pandemonio.

 

Sultai Bolts KATCHAU
4472 visualizações
19/11/2019
R$ 1.317,40
R$ 1.814,56
R$ 3.090,94
4472 visualizações
19/11/2019
Visualização:
Padrão
Cor
Custo
Raridade
Visual
CMC
Comprar Deck
Criaturas (15)
4  Familiar do Caldeirão 0,25
4  Ganso Dourado 10,89
3  Ginete Homicida // Fim Célere   10,00
1  Lobo Mau   1,21
3  Garota-massacre   1,74
Planeswalkers (7)
4  Oko, Ladrão de Coroas   62,80
2  Vraska, Rainha Golgari   8,09
1  Liliana, General da Horda Medonha   58,00
Mágicas (6)
4  Era Uma Vez  12,74
1  Garras Nóxias  0,05
1  Troféu do Assassino  59,65
Artefatos (4)
4  Forno da Bruxa 0,49
Encantamentos (4)
4  Trilha de Migalhas  0,10
Terrenos (24)
2  Castelo de Locthwain7,59
4  Charco da Procriação65,90
5  Floresta0,00
1  Ilha0,00
2  Pântano0,00
2  Passagem Fabulosa18,00
4  Túmulo Aquático44,99
4  Tumba Abandonada34,00
60 cards total

Sideboard (15)
2  Véu do Verão 24,90
1  Garras Nóxias  0,05
2  Negar  0,05
2  Retorno à Natureza  0,05
1  Brontodonte Destruidor   0,25
4  Fera Apaixonada // Desejo do Coração  1,00
2  Fera das Demandas   52,99
1  Ugin, o Inefável 6,99

 

O Bootcamp começou na sexta-feira 08/11, sendo que esse dia era para a galera chegar de viagem, alocar-se nos quartos e se conhecer melhor. Paralelamente, acontecia o Mythic Championship em Richmond, e acompanhamos esse torneio pela televisão enquanto mais gente ia chegando. Houveram algumas discussões sobre o formato, montamos os principais decks do metagame para teste, e alguns chegaram a testar certas partidas, mas sem um cronograma rigoroso.


Nesse dia, a minha convicção estava no Sultai Food com Nissa, Who Shakes the World, esse o principal deck do formato e o que mais vinha me trazendo resultados na vida real e no MTG Arena. O meu plano inicial seria "tunar" o já melhor baralho para chegarmos em uma lista ideal com planos de sideboard afinados, e quem sabe alguma tech para a mirror. Alguns compartilhavam da minha visão (como o Calazans), outros gostavam mais sem a terceira cor preferindo Simic Food (como o Capa), e outros estavam mais interessados nos decks agressivos de Estalajadeiro de Beiramuro (preferência do Juliano). Já o pessoal de Londrina gostava mais do Jund Sacrifice do L1X0, que vinha trabalhando no deck praticamente desde o início do formato pós-ban de Campo dos Mortos, postando alguns 5-0s no Magic Online.


No segundo dia de Bootcamp (sábado 09/11) tivemos algo "próximo" de um dia livre, onde embora não tivéssemos que seguir o cronograma, todos estavam bem investidos no jogo. Alguns playtestavam partidas, outros assistiam o Mythic Championship da piscina com hidromassagem (ou talvez só eu assistisse o MC da piscina, mas certamente estava ali absorvendo o conteúdo!), e no nosso segundo dia a atenção se voltou para algumas das techs que os jogadores estavam trazendo.


O Gruul Aventura do Javier Dominguez foi um dos baralhos que caiu nas nossas graças, da mesma forma que a tech do Brad Nelson de utilizar mais cópias de Baixas de Guerra além do splash branco para Ethereal Absolution parecia ser o caminho para os Sultai Food. O Simic Food colocou várias cópias no Top 8, apesar de ter bem menos pilotos do que o Sultai foi algo a ser considerado em nossos treinos e discussões, mas além do Caparroz ninguém parecia muito motivado com o baralho.


No domingo 10/11, terceiro dia de Bootcamp, acompanhamos a transmissão do Top 8 do Mythic Championship e já testávamos alguns dos baralhos que tinham sido divulgados. Um deck que não chegou ao Top 8, mas inevitavelmente chegou ao nosso radar foi o Sultai Sacrifice, que teve o melhor percentual de vitória em relação aos outros arquétipos. Começamos testando com um desse baralho com proxies, e ele de fato pareceu promissor.


Com isso, passamos para a segunda-feira 11/11, quarto dia de Bootcamp, com o foco nesse baralho para vermos se ele desempenhava bem contra os outros decks do metagame, principalmente contra o Sultai e o Simic Food. E conforme jogávamos, víamos que estávamos diante de um monstro, um baralho insano. Os resultados do Grand Prix/Magic Fest realizado em Richmond, paralelo ao Mythic, confirmavam: o deck emplacou quatro cópias no Top 8, faturando também a taça. Ali tínhamos a certeza de que a combinação Familiar do Caldeirao, Forno da Bruxa, Garota-massacre e afins era o que queríamos estar fazendo para São Paulo. Um a um os membros da casa foram se convencendo, e o que era somente um Sultai Sacrifice montado para testar contra os outros baralhos, foi se tornando dois, três e até quatro montados simultaneamente, para agilizar os testes e o processo de "tuning".


Terça-feira 12/11, quinto dia de Bootcamp, já teve um foco totalmente diferente. Sabíamos que alguns matchups do baralho não eram os melhores, principalmente combos que vão mais "por cima" como Jeskai Fires e Temur Reclamation, e precisaríamos de um bom plano para tentar reverter no pós- sideboard. Da mesma maneira, a mirror já era uma preocupação com vários streamers e produtores de conteúdo falando sobre o deck e jogando com ele, então também era uma partida a ser considerada.

 

Juntando todos esses pontos, nesse dia montamos o que seria o núcleo do nosso plano de sideboard, com Fera das Demandas, Fera Apaixonada // Desejo do Coracao, Retorno a Natureza e Coagir/Negar em quantidades pesadas, nos permitindo fazer um jogo mais rápido com disrupts pontuais para roubar partidas contra esses baralhos. Testamos bastante contra Jeskai Fires, um baralho que esperávamos em grande quantidade em São Paulo, e os resultados nos trouxeram bastante otimismo no plano.


Porém, a questão da mirror continuava uma dor de cabeça, e o relógio era uma preocupação real. O Caverna e o L1X0 constantemente ganhavam partidas no tempo jogando no Magic Online. Usando o baralho em uma live da LigaMagic, eu enfrentei o Carlos Romão (Jabaiano) numa mirror match onde o primeiro game já tinha consumido 13 minutos meus e 17 minutos dele, e a partida só se encerrou por um missclick, com ele matando minha Vraska, Rainha Golgari com Ginete Homicida // Fim Celere ao invés da Liliana, General da Horda Medonha prestes a ultar. Tínhamos a real preocupação de que não conseguiríamos jogar o G2/G3 para fazer um plano de side funcionar, já que era possível que o G1 demorasse infinito, sendo impossível até de ganhar no "deck over" pela combinação do próprio Ginete Homicida com algum dos efeitos de sacrificar.


Uma das ideias propostas foi a adoção de Linha de Forca do Vacuo com uma cópia no primeiro game, considerando que nada destruía ela: Vraska, Ginete Homicida, Oko, Garras Nóxias. Cartas como Thrashing Brontodon e Trofeu do Assassino só estavam aparecendo nos sideboards, e isso não seria um problema se só houvesse o G1.


Começamos a quarta-feira 13/11, sexto e penúltimo dia de Bootcamp com a pretensão de jogarmos mirrors de G1, cronometrarmos o tempo e ver o que realmente decidiria essa partida. Acontece que, salvo um ou outro jogo que arrastava, na maioria das vezes quem largava na frente e conseguia manter a vantagem, ganhava os jogos com relativa facilidade. Mesmo quando um dos jogadores não chegava a 0 de vida de fato, era fácil vermos quando não tinha mais chance do outro voltar pro jogo, e nesse sentido conceder na hora certa seria importante para que terminássemos os jogos em tempo durante o evento. A carta que mais definia a mirror era certamente Trilha de Migalhas, sendo até mais importante para o baralho na mirror que o próprio Oko, Ladrao de Coroas. A própria Linha de Força não era super relevante nesses jogos, podendo ser contornada até encontrar uma remoção para a mesma e aí sim começar a emplacar o combo do gato.


Além das Fera das Demandas, outro card-chave em nosso sideboard foi o Ugin, o Inefavel, que servia como bomba adicional para a mirror e partidas arrastadas, onde ele poderia destruir Fogos da Invencao, Reconquista da Natureza, Liliana e Trilha de Migalhas, com um bônus interessante de descer nosso Forno da Bruxa  por zero manas (que aconteceu comigo três vezes no torneio, uma delas sendo relevante!).


Com essas conclusões, acabamos por abandonar o plano de Linha de Forca do Vacuo tanto no main deck quanto no sideboard, e já tínhamos uma lista praticamente definida, com brigas entre um ou outro slot, mas sempre de cartas com slots parecidos. Um Trofeu do Assassino x uma Garras Noxias no main deck, 2x1 ou 1x2 de Thrashing Brontodon e Retorno a Natureza, Coagir x Negar, a quantidade de Passagem Fabulosa x Castelo de Locthwain, e similares. O núcleo do main deck e sideboard era o mesmo para todos, com praticamente as mesmas 75 para todo o time (com as devidas mudanças na base de mana e Diabo do Pandemonio para os que foram de Jund).


No último dia de bootcamp (quinta-feira 14/11), alguns de nós continuaram "na pegada" dos testes para pegar mais "carga" com o deck, enquanto outros optaram por descansar um pouco, mas acompanhando de perto ou até revezando no teste em alguns momentos. Ao final do dia, fizemos aquele churrascão com o Kaies, "O Artista", no comando, dando aquele gás que precisávamos para o GP, nos permitindo relaxar e curtir uma confraternização após uma árdua semana de trabalho.


Tínhamos bastante confiança no baralho. O deck era insano, jogando muito bem contra os outros decks de Food, conseguimos na medida do possível ter jogo contra os potenciais bad matchups, e um plano bom para jogar a mirror no pós-side. O fato de termos o L1X0 ao nosso lado foi um diferencial, já que tivemos pleno acesso a um especialista nas interações de Trilha de Migalhas e Familiar do Caldeirao, nos deixando afiados mesmo nos detalhes capciosos envolvendo sinergias complexas de Garota-massacre e Vraska, Rainha Golgari.

 

Quanto ao torneio, no meu primeiro dia fiz 7-1, vencendo as duas primeiras graças ao BYE 2, perdendo a "primeira" rodada para Sultai Sacrifice, e então emplacando vitórias consecutivas contra Rakdos Knights, Jeskai Fires, Sultai Food, Sultai Sacrifice e Gruul Haste. Já no meu segundo dia fiz 4-3, começando com uma vitória contra Sultai Sacrifice, depois três derrotas seguidas para Sultai Food, Gruul Aventuras e Temur Reclamation, dando a volta por cima com três vitórias seguidas contra Sultai Sacrifice, Sultai Food e Simic Flash para terminar em 25° com um placar de 11-4, com direito a 400 dólares de premiação.


Porém, não tenho do que reclamar, tendo a certeza que fiz o máximo que estava ao meu alcance em termos de preparação - todas as que perdi foram de 2x1 em partidas bem próximas, onde detalhes decisivos como Veu do Verao e Brasolamina bem encaixados fizeram toda a diferença em favor do oponente, protegendo um Niv-Mizzet ou uma Nissa por tempo suficiente para que o restante dos respectivos baralhos fizesse o serviço. Fiquei especialmente satisfeito com as últimas três partidas do Day 2, onde depois de três derrotas seguidas que poderiam ter descarrilhado num desastre total consegui manter a cabeça no lugar e reverter a situação para mais uma posição sólida ao final com três vitórias consecutivas.


O plano elaborado pelo Bootcamp funcionou muito bem, colaborando diretamente na minha vitória contra Jeskai Fires e no 3x1 geral na mirror match. Além disso, pela baixa quantidade de jogadores presentes, o nível médio dos oponentes estava altíssimo, e durante ambos os dias enfrentei várias vezes jogadores que já competiram no Pro Tour e com Top 8s em Grand Prix, e ver tanto o meu jogo quanto o nosso plano "encaixar bem" me deixa com uma grande sensação de orgulho, de dever cumprido.


Dito isso, gostaria de agradecer a todos da staff da LigaMagic e patrocinadores da equipe LigaMagic Bolts pela oportunidade de representá-los nesse projeto e no Magic Fest. Agradeço também aos que compartilharam a casa comigo nessa última semana, e trabalharam arduamente para chegarmos no objetivo, cada um agregando à sua própria maneira, de acordo com os conhecimentos e pontos fortes individuais: Juliano liderando e coordenando a equipe; L1X0 sendo o nosso "cérebro" no arquétipo Gato/Forno; Caverna e Kaies mais focados no Magic Online, trazendo as techs que o pessoal vinha usando nas Ligas; Caparroz na elaboração dos planos de sideboard usados pelo time; Pedro trazendo sempre estatísticas relevantes, além de estar sempre disposto para o playteste e no Magic Arena; e Calazans totalmente na parte prática, testando matchups com o baralho praticamente de forma ininterrupta.


É claro que, com o sucesso do time e dos convidados do Bootcamp no Magic Fest, a expectativa para os próximos projetos da LigaMagic só aumenta, e mal posso esperar por eles! LigaMagic Bolts, KATCHAU!!!!!!


Abraços e até a próxima!

Cards Store - Patrocinador Oficial LigaMagic Bolts
Epic Game - Patrocinador Oficial LigaMagic Bolts
Cards of Paradise - Patrocinador Oficial LigaMagic Bolts
Matheus Akio Yanagiura ( sandoiche_13)
Matheus Akio Yanagiura, mais conhecido como Sandoiche, começou a jogar em 2003, em Flagelo. Está sempre na vida do grind dos torneios, com destaque para o título do CLM 10 Modern, o maior realizado até então, e o Top 16 no Grand Prix São Paulo 2018. É um entusiasta do Magic competitivo e totalmente dedicado à produção de conteúdo referente ao jogo, publicando artigos periodicamente desde 2012, colaborando para o Blog da LigaMagic desde 2015 e atualmente produz vídeos em seu canal no YouTube Sandoiche's Grind e streama ao vivo regularmente na Twitch.
Redes Sociais: Facebook, Twitter
Comentários
Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.
(Quote)
- 20/11/2019 16:59
Com oko banido, tem algum motivo de jogar com o azul ou com o pack food?
Jogo de monoblack gato desde o primeiro dia de eldraine, hora nenhuma senti o meta me apertar, nem food, nem field.
(Quote)
- 20/11/2019 10:20
Muito legal esse report. Gosto muito do tipo de post. Parabens pelas doletas rsrsrdrd
Últimos artigos de Matheus Akio Yanagiura
Ar Fresco para o Standard
Quatro banimentos que viraram o Standard de cabeça para baixo, mas trouxeram ar fresco para o formato. Sandoiche comenta sobre os banimentos e cobre alguns dos baralhos que e..
5.415 views
Ar Fresco para o Standard
Quatro banimentos que viraram o Standard de cabeça para baixo, mas trouxeram ar fresco para o formato. Sandoiche comenta sobre os banimentos e cobre alguns dos baralhos que e..
5.415 views
Há 2 dias — Por Matheus Akio Yanagiura
Dicas Genéricas de Draft
Sem considerar um formato em específico, Sandoiche fornece algumas dicas genéricas úteis para mandar bem em Drafts de qualquer edição!
2.795 views
Dicas Genéricas de Draft
Sem considerar um formato em específico, Sandoiche fornece algumas dicas genéricas úteis para mandar bem em Drafts de qualquer edição!
2.795 views
Há 13 dias — Por Matheus Akio Yanagiura
Bem-vindo ao Novo Histórico!
Banimentos, Jumpstart, Arena Open... o Histórico tem muitos motivos para estar em evidência ultimamente, e em seu artigo de hoje Sandoiche aborda os principais decks do form..
5.639 views
Bem-vindo ao Novo Histórico!
Banimentos, Jumpstart, Arena Open... o Histórico tem muitos motivos para estar em evidência ultimamente, e em seu artigo de hoje Sandoiche aborda os principais decks do form..
5.639 views
Há 16 dias — Por Matheus Akio Yanagiura
Jogando com Decklists Abertas
Uma peculiaridade dos torneios online independentes é jogar com decklists abertas - fenômeno que traz suas próprias características na escolha de decks, mulligan e sideboa..
3.282 views
Jogando com Decklists Abertas
Uma peculiaridade dos torneios online independentes é jogar com decklists abertas - fenômeno que traz suas próprias características na escolha de decks, mulligan e sideboa..
3.282 views
Há 22 dias — Por Matheus Akio Yanagiura
Core Set 2021 no Modern
Em seu artigo de hoje, Sandoiche analisa os cards de M21 que já estão impactando o nosso querido Modern, além dos que são potencialmente promissores!
5.372 views
Core Set 2021 no Modern
Em seu artigo de hoje, Sandoiche analisa os cards de M21 que já estão impactando o nosso querido Modern, além dos que são potencialmente promissores!
5.372 views
Há 30 dias — Por Matheus Akio Yanagiura